Britânica de 68 anos é condenada por cultivo de maconha

Uma avó britânica que faz campanha pelo uso medicinal da maconha foi condenada na quarta-feira, 7, por cultivo e posse da droga.Patricia Tabram, de 68 anos, defendeu a si mesma durante o julgamento no tribunal de Carlisle, no nordeste da Grã-Bretanha, e acabou condenada a prestar 250 horas de serviço comunitário.A avó afirma que utilizava a droga para melhorar os sintomas de depressão e as dores causadas por dois acidentes de carro.Tabram foi presa depois que a polícia recebeu uma denúncia e encontrou quatro plantas de cannabis crescendo no armário dela, na cidade de Humshaugh.A polícia também encontrou pó feito de maconha em um pote na cozinha. Tabram disse que utilizava o pó para cozinhar e confessou que seu freezer estava lotado de comidas e sorvetes contendo a droga.LegalizaçãoO caso tem sido citado como exemplo em campanhas pela legalização da maconha na Grã-Bretanha.Em abril de 2005, Tabram recebeu uma sentença de prisão de seis meses, que acabou sendo suspensa por dois anos. Segundo a decisão, a avó poderia ser presa caso cometesse uma nova infração durante esse período.Antes do anúncio da sentença, a juíza Bárbara Forrester chegou a dizer que não poderia descartar a possibilidade de mandar Tabram para a prisão porque a ré havia violado a sentença suspensa."Eu sou velha e estou cansada", disse Tabram. "Estou decepcionada com a atitude do tribunal para com alguém da minha idade, meus problemas de saúde e a forma como lido com eles. Eu quero apenas ir para casa e descansar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.