Britânico confessa assassinato depois de 15 anos

Quinze anos depois de uma prostituta ter sido morta a punhaladas e dez anos depois de três inocentes, erroneamente condenados pelo crime, terem sido soltos, o guarda de segurança Jeffrey Gafoor, de 38 anos, se declarou culpado da morte de Lynette White, assassinada com mais de 50 punhaladas em 1988. Gafoor foi condenado à prisão perpétua. Em 1990, três outros homens foram condenados pelo crime, depois de um longo julgamento. Dois anos depois, a Corte de Apelações lhes concedeu a liberdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.