AFP PHOTO / METROPOLITAN POLICE
AFP PHOTO / METROPOLITAN POLICE

Britânico que atropelou muçulmanos em Londres em junho é condenado à prisão perpétua

Ao anunciar a sentença, a juíza estabeleceu que Darren Osborne deverá cumprir ao menos 43 anos para que a pena possa ser revisada

O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2018 | 14h36

LONDRES - O britânico Darren Osborne, que no dia 19 de junho atropelou com uma caminhonete um grupo de muçulmanos perto de uma mesquita em Londres, foi condenado nesta sexta-feira, 2, à prisão perpétua por um tribunal da capital do Reino Unido.

+ Londres teme que atentado contra muçulmanos estimule radicalismo

Ao anunciar a sentença, a juíza Bobbie Cheema-Grubb, da Corte de Woolwich, estabeleceu também que ele deverá cumprir ao menos 43 anos para que a pena possa ser revisada.

+ Família de suspeito de ataque contra muçulmanos em Londres diz estar devastada

Após um julgamento de nove dias, em uma audiência realizada na quinta-feira, Osborne, de 48 anos, foi declarado culpado por um júri de oito mulheres e quatro homens pelas acusações de assassinato e tentativa de assassinato.

A juíza considerou que o acusado planejou "uma missão suicida" e tinha antecipado "morrer a tiros" disparos pelos agentes, além de se referir ao ocorrido como "um atentado terrorista com a intenção de matar".

Durante o processo judicial, a Promotoria expôs que o acusado, descrito por sua mulher como um "alcoólatra funcional" de "temperamento imprevisível", havia se radicalizado com ideias de extrema direita nas semanas anteriores ao ataque.

Osborne, pai de quatro filhos e desempregado, se radicalizou após ler material político na internet e ver um programa da emissora BBC sobre uma rede de exploração infantil em Manchester, no qual vários integrantes eram de origem paquistanesa, segundo detalhou sua mulher.

No início da madrugada de 19 de junho, o agressor atropelou com sua caminhonete um grupo de fiéis muçulmanos que tinham encerrado as orações do Ramadã. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.