Britânico seqüestrado no Iraque à caminho de casa

O ativista britânico que ficou sob o poder de seqüestradores iraquianos por quatro meses está voltando para casa nesta sexta-feira, informou um membro do grupo Pacificadores Cristãos. Norman Kember, de 74 anos, partiu de Bagdá em um transporte militar britânico, disse Peggy Gish, membro do grupo, com base em Chicago. A porta-voz da embaixada Britânica em Bagdá, Lisa Glover, se recusou a confirmar a partida de Kember e informou que a família do ativista pediu ao governo britânico que não tornasse pública sua chegada. Gish não sabia quando os dois canadenses, Harmeet Singh Sooden e James Loney, que foram seqüestrados e depois libertados junto com Kember, deixariam o Iraque. Ela participou de uma comemoração na sexta-feira pelo 33º aniversário Sooden, na embaixada canadense. Segundo ela, os parentes de Sooden viajaram para uma cidade do Oriente Médio, cujo nome não foi revelado, para encontrá-lo antes de seu retorno. O porta-voz da Embaixada do Canadá em Bagdá não pôde ser contatado. Os homens foram seqüestrados no dia 26 de novembro, juntamente com o americano Tom Fox, de 54 anos. O corpo de Fox foi encontrado este mês, abandonado na região oeste de Bagdá e com marcas de tiros. Forças de segurança dos americanas e britânicas invadiram uma casa no subúrbio de Bagdá, na quinta-feira, onde os homens foram encontrados, com as mãos atadas. "Momentos antes da intervenção eles foram amarrados e depois os captores deixaram o local. Então eles estavam sozinhos quando as forças de segurança chegaram", informou Gish. O porta-voz do exército americano, major Rick Lynch, disse que o resgate foi baseado em informações divulgadas por um homem durante um interrogatório três horas antes. O delator havia sido capturado pelas forças americanas na noite de quarta-feira.

Agencia Estado,

24 Março 2006 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.