Britânicos acham dados pessoais em arquivos de oficiais

Um memorando militar interno divulgado hoje confirmou que disquetes de computador perdidos numa base da Força Aérea Real britânica (RAF, pela grafia em inglês) continha dados sobre as vidas de alto oficiais, dentre elas respostas de questionários sobre abuso de drogas, relacionamentos extraconjugais e a contratação da prostitutas. O memorando foi divulgado pelo jornal britânico "The Guardian", sob a lei de liberdade de informação. Os disquetes foram perdidos em setembro.

AE-AP, Agencia Estado

25 de maio de 2009 | 13h52

Na época do roubo, ocorrido na base de Innsworth, o Ministério da Defesa disse que apenas dados pessoais, como informações bancárias e endereços, haviam se perdido. Mas o memorando confirma que os dados incluíam detalhes de exames de segurança, informações médicas e atividade sexual. "Estes dados representam uma lista excelente para serviços de inteligência estrangeiros, jornalistas investigativos e chantagistas", afirma o documento.

O ministério da Defesa britânico recusou-se a confirmar detalhes sobre as informações perdidas, mas disse que não há evidências de que estejam nas mãos de criminosos ou forças inimigas. "Todos os envolvidos identificados como estando em perigo passaram por entrevistas para alertá-los da perda dos dados, para discutir ameaças potenciais e aconselhá-los a tomar atitudes para diminuir os danos", disse um porta-voz do ministério, em condição de anonimato.

Tudo o que sabemos sobre:
Inglaterramilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.