Britânicos são acusados de doação ilegal de esperma

Dois britânicos que lucraram com um site ilegal que disponibilizava esperma para mulheres que queriam engravidar foram indiciados hoje. Nigel Woodforth e Ricky Gage são acusados de ganhar 250 mil libras (US$ 385.895) com uma empresa de internet que apresentava doadores de esperma anônimos a mulheres que queriam um bebê.

AE-AP, Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 20h01

Os promotores disseram ao júri, em Londres, que Woodforth, de 43 anos, gerenciava o site do porão de sua casa. Os dois homens não tinham licença para obter e distribuir esperma, como é exigido pela lei britânica.

Quase 800 mulheres que pagaram para usar o serviço receberam acesso aos detalhes de uma lista de homens não identificados. As mulheres podiam escolher a etnia, peso e até a cor dos olhos do doador do esperma, que era entregue em suas casas.

Os dois homens enfrentam acusações por obter esperma ilegalmente, o que eles negam. A dupla afirma que a empresa é apenas um serviço de apresentação e que as usurárias do serviço faziam seu próprios acordos privadamente. Os homens foram detidos em abril de 2009, depois que um policial que investigava o caso ter se apresentado como um potencial doador e depois como uma mulher em busca do serviço.

Tudo o que sabemos sobre:
doaçãoilegalesperma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.