Britânicos serão firmes contra ambições do Irã, diz Miliband

O ministro de Assuntos Exteriores britânico, David Miliband, advertiu o Irã de que o Reino Unido se manterá firme diante das ambições nucleares de Teerã.Em sua primeira entrevista desde que assumiu o cargo, há dez dias, Miliband disse ao jornal econômico britânico Financial Times que o regime iraniano "não tem o direito de iniciar uma corrida de armas nucleares no Oriente Médio".Apesar de admitir que o Irã tem todo o direito de ser uma nação segura, o ministro especificou que esse país não deve prejudicar "a estabilidade de seus vizinhos".Na entrevista, publicada nesta segunda-feira, Miliband acrescentou que o Ocidente fez uma "oferta muito clara" que permitirá ao Irã desenvolver a energia nuclear civil que necessita.No entanto, o Reino Unido se manterá firme e poderia apoiar uma terceira resolução das Nações Unidas para reforçar as sanções se necessário, acrescentou."Estamos preparados para trabalhar com nossos parceiros em uma terceira resolução. Achamos que é muito, muito importante que a comunidade internacional seja clara e esteja unida neste assunto", disse Miliband, que substituiu Margaret Beckett há dez dias.Apesar de Jack Straw, antecessor de Beckett nas pasta de Exteriores, ter indicado há dois anos que a ação militar contra o Irã era "inconcebível", Miliband se negou a repetir essa afirmação durante a entrevista, afirma o jornal."Acho que toda a comunidade internacional quer uma solução diplomática, não militar, para este problema", acrescentou.MensagemA mensagem mais importante de Miliband, ressalta o Financial Times, é que o Governo britânico do novo primeiro-ministro, Gordon Brown, "não se retirará do mundo" após a partida de Tony Blair.Miliband deixou claro que a Administração de Brown será um "firme defensor dos direitos nacionais" britânicos.Em relação ao Oriente Médio, o ministro disse que será mantida a exigência ao grupo Hamas de reconhecer o direito de existência de Israel antes de se relacionar com a comunidade internacional.Na semana passada, Miliband reconheceu o trabalho do Hamas em conseguir a libertação - no último dia 4 - do jornalista da BBC Alan Johnston, seqüestrado por 114 dias na Faixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.