Britânicos transferem a Bagdá controle de Basra

A Grã-Bretanha transferiu ontem o controle total da Província de Basra, no sul do Iraque, para as forças iraquianas. A ação é um marco importante na redução do número de tropas britânicas no país, quase cinco anos após o início da invasão. Com a medida, o combate a insurgentes ficará a cargo dos iraquianos, enquanto as forças britânicas só participarão de confrontos se forem atacadas ou se os militares iraquianos pedirem ajuda.A bordo de tanques e veículos blindados, milhares de policiais e soldados iraquianos compareceram à cerimônia que marcou a transferência de poder em Basra, numa demonstração de força que não era vista desde a época de Saddam Hussein. "Hoje vivemos uma conjuntura histórica e um dia especial, um dos mais importante da história de Basra", disse o governador Mohammed Mosbah al-Waeli, em seu discurso no aeroporto da cidade, onde os soldados britânicos mantinham sua última base no país. O controle de Basra será um teste para o governo iraquiano, que agora terá de provar se consegue controlar a segurança na região sem o apoio dos EUA nem de seus aliados britânicos. O comandante britânico, general Graham Binns, afirmou que as forças iraquianas "já mostraram ser capazes" de controlar a área. "Eu vim aqui (em 2003) para livrar Basra de seus inimigos, mas agora passo o controle para o Exército e a polícia iraquiana", disse.A cidade foi palco de várias batalhas com insurgentes e até de confrontos entre facções de milícias xiitas, mas recentemente vive sob uma certa tranqüilidade. Na semana passada, um atentado com três carros-bomba matou 40 pessoas na Província de Maysan, vizinha a Basra, lembrando os iraquianos dos riscos que correm em locais onde a segurança não está mais a cargo dos britânicos.A Grã-Bretanha tem 4.500 soldados no país, número que até meados de 2008 será reduzido para 2.500.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.