Brown comete gafe e chama eleitora de 'fanática'

Em um incidente que pode ter impacto significativo sobre a corrida eleitoral no Reino Unido, o primeiro-ministro, Gordon Brown, chamou de "fanática" uma eleitora, após ela falar com ele sobre políticas do governo. Uma filmagem de televisão registrou o áudio do comentário de Brown, há oito dias da eleição.

AE, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 13h19

O incidente ocorreu em Rochdale, no norte da Inglaterra. Depois do encontro com a eleitora na rua, o primeiro-ministro entrou no carro e um microfone registrou ele dizendo que a conversa com a mulher havia sido "ridícula". "Isso foi um desastre - eles nunca deveriam ter me colocado com aquela mulher. Que ideia foi aquela?", disse Brown a um assessor. Em seguida, ele qualificou a interlocutora como "uma mulher fanática".

A eleitora, Gillian Duffy, havia confrontado Brown em temas como o déficit orçamentário, pensões e imigração. O encontro parecia ter terminado de modo amigável, com Brown dizendo que "foi muito bom ver você".

Em entrevista à BBC, o premier se desculpou. Horas após o incidente, ele visitou a mulher e emitiu um comunicado sobre o encontro. "Eu acabo de falar com Gillian. Estou mortificado com o que ocorreu. Desejei a ela minhas sinceras desculpas", afirmou. "Eu não entendi o que ela disse, ela aceitou que houve um desentendimento e aceitou minhas desculpas." O primeiro-ministro, porém, não respondeu as questões da imprensa sobre que tipo de desentendimento pode ter ocorrido.

A gafe ocorre no momento em que o partido de Brown, o Trabalhista, aparece mal na corrida eleitoral. Os Conservadores aparecem com 33%, enquanto os Trabalhistas e os Liberais Democratas estão empatados, com 29%, segundo pesquisa da companhia ComRes.

Gillian, que se definiu como eleitora de longa data dos Trabalhistas, qualificou a fala de Brown como "muito desapontadora" e disse que não votará nele. O comentário da eleitora foi feito antes da visita do premier.

O chairman da ComRes, Andrew Hawkins, disse que o comentário pode custar alguns votos. "Incidentes como esse são inevitáveis, mas particularmente infelizes quando você não está bem - a última coisa que Brown quer é perder eleitores fiéis, no momento em que muitos pensam em ficar em casa no dia da eleição." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoeleiçõesBrownfanática

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.