Brown pede desculpa por escândalos envolvendo gastos

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, pediu desculpas pelo recente escândalo envolvendo gastos excessivos de parlamentares acusados de usarem dinheiro público para cobrir despesas "incomuns", como ração de cachorro, esterco de cavalo e filmes pornográficos. "Eu quero pedir desculpas em nome dos políticos pelo que ocorreu", afirmou Brown. O escândalo dos gastos feitos com o dinheiro do contribuinte britânico foi revelado pelo jornal "The Daily Telegraph", que vem publicando diariamente reportagens sobre as despesas de parlamentares registradas desde 2004.

AE-AP, Agencia Estado

12 de maio de 2009 | 20h15

Entre as denúncias estão a de parlamentares que usaram o auxílio-moradia para reformar a própria casa, pagar prestações de imóveis e cobrir gastos com jardineiro. Algumas dessas despesas foram feitas em residências que não são ocupadas pelos legisladores. Outros registros indicam gastos de US$ 38 mil com segurança, US$ 3 mil com encanamento e até o pagamento de US$ 9,8 mil para os serviços de uma faxineira - este último feito por Brown antes de assumir o cargo de primeiro-ministro.

Integrantes do Parlamento britânico ganham, por ano, quantia equivalente a US$ 92.795. Nos últimos 12 meses, eles tiveram direito a um auxílio adicional de US$ 200 mil para cobrir gastos de gabinete, incluindo salários de assessores e despesas de moradia. Nos EUA, membros da Câmara dos Representantes recebem US$ 174 mil por ano, além de benefícios calculados em US$ 1,4 milhão para pagar as contas de seus escritórios.

No Brasil, o salário anual dos deputados federais é de pouco mais de R$ 200 mil (cerca de US$ 95 mil) - maior do que na Grã-Bretanha. Para gastos adicionais, porém, os brasileiros dispõem de uma verba de cerca de R$ 1 milhão (US$ 480 mil) - mais do que o dobro da recebida pelos colegas britânicos -, além do dinheiro extra para passagens aéreas.

A farra com o dinheiro público irritou os eleitores britânicos. Alguns políticos pediram a dissolução do Parlamento e pressionaram Brown a antecipar as eleições, que devem ocorrer em meados de 2010. Hoje, o líder dos conservadores e principal adversário político de Brown, David Cameron, afirmou que os membros de seu partido devolverão o dinheiro usado para despesas "frívolas" e disse que os que não obedecerem às novas regras serão expulsos da legenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.