Bruxelas estuda maior rigor contra cibercrime

A União Europeia estuda uma lei contra crimes digitais que obrigará mais de 40 mil empresas, incluindo fornecedoras de energia, bancos e hospitais, a reportar qualquer ataque de hackers contra seus sistemas. A iniciativa faz parte de uma ofensiva dos países europeus para ampliar a segurança na rede. Algumas empresas reclamam que notificar as violações poderá prejudicar sua reputação.

O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2013 | 02h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.