Bruxelas investigará expulsões de ciganos pelo governo francês

Retomada da repressão a imigrantes vindos da Romênia e da Bulgária causa preocupação na Comissão Europeia

ANDREI NETTO , CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2012 | 03h09

A iniciativa do governo do socialista François Hollande de retomar as expulsões de ciganos da França será objeto de análise da Comissão Europeia. A decisão foi informada ontem, na primeira reação de Bruxelas à política de desmantelamento de acampamentos no interior do país, intensificada nos últimos dez dias. Os voos de repatriamento financiados pelo Estado também estão na mira da investigação.

O objetivo da análise será verificar se o governo francês está respeitando as normas europeias contra expulsões arbitrárias e tratamentos discriminatórios de imigrantes. De acordo com Mina Andreeva, porta-voz da comissão, Bruxelas estaria buscando informações a respeito da nova leva de desmantelamentos e de expulsões, agora organizadas pelo novo ministro do Interior, Manuel Valls.

Paris e Bruxelas já haviam divergido em 2010 e 2011, quando a comissária europeia de Justiça bateu de frente com o então presidente Nicolas Sarkozy, cujo governo fechava acampamentos ciganos em todo o país. Viviane acusou a França de praticar uma política similar à da Alemanha durante a 2ª Guerra e abriu um processo por discriminação.

Na quinta-feira, dois acampamentos de ciganos situados nas imediações de Lille foram fechados, deixando cerca de 400 pessoas sem moradia. Além disso, um avião com 240 ciganos partiu de Lyon para repatriar romenos. / COM AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.