Bruxelas propõe adesão da Croácia à UE em julho de 2013

País será o 28º a se unir a bloco; negociações começaram em 2005

Efe

10 de junho de 2011 | 09h21

BRUXELAS - A Comissão Europeia propôs nesta sexta-feira, 10, a adesão da Croácia à União Europeia (UE) em 1º de julho de 2013, segundo anunciou o presidente do Executivo comunitário, José Manuel Durão Barroso.

 

"A Comissão Europeia acaba de propor ao conselho de ministros da UE que feche os últimos quatro capítulos das negociações de adesão com a Croácia. Isto irá preparar o caminho para que a Croácia se una à UE como o Estado número 28 em 1º de julho de 2013", disse Barroso, em comunicado.

 

A decisão final sobre as condições e a data do ingresso croata deverá ser tomada pelos Estados-membros da UE.

 

A Croácia e o bloco europeu iniciaram as negociações de adesão em outubro de 2005. Após vários períodos de interrupções, as discussões foram retomadas com intensidade nos últimos meses, graças às pressões de alguns Estados-membros importantes, como a Alemanha.

 

Durante os últimos anos, a Comissão "negociou duro, mas de maneira justa", para garantir que a Croácia cumprisse as "rigorosas condições", critérios e metas exigidos pela UE, o que, de acordo com Barroso, foi concretizado.

 

O presidente do órgão Executivo da UE assegurou que o passo alcançado pela Croácia representa também "um sinal" ao resto dos países do sudeste da Europa de que o bloco é sério com relação a seus compromissos de manter o processo de ampliação e que empreender reformas estruturais "compensa".

 

Por essa razão, Barroso manifestou confiar que outros países dos Bálcãs darão um novo impulso a seus processos de reformas internas e insistiu que o processo de ampliação serve aos interesses da UE, na medida em que constitui "a melhor ferramenta" para promover a estabilidade e a prosperidade nessa região europeia.

Tudo o que sabemos sobre:
CroáciaUEadesãocandidaturaBalcãs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.