Buckingham esconde tentativa de seqüestro por 30 anos

Documentos liberados esta semana pelo governo britânico destacam a coragem da princesa Anne em um episódio ocorrido há 30 anos, quando ela foi alvo de uma tentativa de seqüestro, próximo ao Palácio de Buckingham. Em março de 1974, a filha da rainha Elizabeth II recusou-se a sair de seu carro e discutiu com o homem que a ameaçava, Ian Ball.Ball, um assaltante com problemas mentais, apontou a arma para a princesa e exigiu "eu quero que você venha comigo por um ou dois dias, porque eu quero 2 milhões de libras. Você pode sair do seu carro?".A princesa respondeu, com bastante ironia: "É bem possível! Eu não tenho 2 milhões de libras". A quantia equivale hoje a 13 milhões de libras, ou US$ 25 milhões.A única coisa que impediu Anne de bater em Ball foi o pensamento de que ele poderia atirar nela, de acordo com o relatório secreto escrito em 21 de março de 1974 pelo então Primeiro-ministro Harold Wilson. Isto foi liberado para o Arquivo Nacional daquele país com a condição de que só fosse publicado depois de 30 anos.No relatório, o secretário de Wilson, Robert Armstrong, relembra o que a princesa disse: "Foi tão enfurecedor. Eu ficava dizendo que não queria sair do carro e que não ia sair do carro. Estava perto de perder a cabeça com ele, mas sabia que se isso acontecesse eu bateria nele e ele poderia atirar em mim". Em um relatório seguinte, Wilson elogiou a princesa, única filha da rainha, por ter se comportado "com extrema coragem e presença de espírito".Ball fechou o carro de Anne com seu Ford Escort, forçando o veículo real a parar. A princesa, o capitão Mark Phillips com quem ela era casada na época, e a dama de companhia foram arremessados para o chão do carro. Durante o assalto de seis minutos, Ball atirou 11 vezes, atingindo quatro homens, incluindo o guarda-costas de Anne, James Beaton.Depois de repetidamente se recusar a obedecer Ball, a princesa tentou sair do carro pelo lado oposto, forçando o assaltante a ir em direção aos seguranças.Ball, que alegou inocência nas acusações de tentativa de assassinato e tentativa de seqüestro, foi preso indefinidamente em uma instituição para doentes mentais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.