Buenos Aires fará o primeiro casamento gay da AL

Nesta sexta-feira, às 16h30, a capital argentina será o cenário do primeiro casamento homossexual da América Latina. Os noivos, César Cigliutti e Marcelo Suntheim, inaugurarão o registro da União Civil, figura legal criada pelo governo da cidade para legitimar enlaces homossexuais. Desta forma, o Estado argentino lhes garante alguns dos direitos típicos de um casal convencional, como o de registrarem-se conjuntamente em planos de saúde. Além disso, poderão solicitar créditos bancários como casal. No entanto, a lei - que é apenas do município de Buenos Aires - não contempla o direito de adotar filhos nem de herança, já que haveria incompatibilidade com a legislação federal sobre a família. Cigliutti, presidente da Comunidade Homossexual da Argentina (CHA), atarefado na contratação do fotógrafo e outros detalhes da festa, declarou que estava "muito emocionado". O casal pediu aos amigos que não joguem arroz na hora da saída dos noivos do Registro Civil, em pleno centro portenho, já que isso não condiz "com a situação de fome que padecem tantos argentinos". Além de Cigliutti e Suntheim, também se casarão Flávia Barraud e Rodrigo Cozzani. Neste caso, a união civil também trata de dois homens, já que Flávia é um travesti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.