Buenos Aires tem primeira sinagoga em prisão na América Latina

A capital argentina tornou-se nesta semana a primeira cidade na América Latina - e a quinta no mundo - a contar com uma prisão com uma sinagoga interna. A inauguração do templo judeu foi realizada no maior centro penitenciário da capital argentina, o Presídio de Devoto, localizado no bairro de Villa Devoto. A inauguração da sinagoga - batizada com o nome de "Sefer Haim" (lugar de vida) - foi presenciada por autoridades do governo da cidade de Buenos Aires e do governo federal, além de representantes religiosos judeus. A criação de um templo hebraico no presídio foi uma iniciativa da associação beneficente judaica AMIA. A obra foi realizada por voluntários da associação junto com prisioneiros. Calcula-se que em Devoto exista uma quinzena de prisioneiros judeus.A sinagoga, que possui 30 metros quadrados, servirá, além de templo, como recinto para que os detentos que sejam judeus praticantes realizem as festividades religiosas da comunidade. A idéia é que no futuro próximo a sinagoga também sirva como centro para a distribuição de refeições kosher (alimentos que seguem as regras religiosas de preparação), além de livros em hebreu.Até a inauguração da sinagoga da Prisão de Devoto, somente a Igreja Católica e a Igreja Evangélica estavam autorizadas para ter templos nos presídios. "Fazia muito tempo que merecíamos este tratamento igualitário e foi um trabalho muito árduo até obter este feito", afirmou o secretário-geral da AMIA, Edgardo Goremberg.Buenos Aires possui a segunda maior comunidade judaica do continente, depois de Nova York. Calcula-se que a cidade albergue a maior parte dos 500 mil judeus argentinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.