Arte/Estadão
Arte/Estadão

Buenos Aires terá entrega de cestas natalinas para tentar evitar saques

Segurança será reforçada nas principais cidades para evitar distúrbios violentos às vésperas do Natal

ARIEL PALACIOS / CORRESPONDENTE,

13 de dezembro de 2013 | 10h41

BUENOS AIRES  - O governo da província de Buenos Aires e os donos dos supermercados ali instalados concordaram em realizar a entrega de sacolas de alimentos nas áreas de maior tensão social, como forma de apaziguar os grupos de saqueadores nos dias prévios ao Natal.

 A entrega de sacolas de mercadorias por parte de supermercados para evitar os saques é uma prática que tornou-se comum em dezembro de 2001, quando milhares de estabelecimentos comerciais foram depredados em toda a Argentina. Essa política de apaziguamento prévio dos grupos de saqueadores continuou ao longo de 2002 e repetiu-se ocasionalmente nos anos seguintes.

No caso da província de Buenos Aires as sacolas que servirão de "cesta natalina" serão distribuídas pelo governo bonaerense. O secretário de segurança da província de Buenos Aires, Alejandro Granados, junto com Alfredo Coto, diretor executivo da Associação de Supermercados Unidos (Asu) declarou que donos de supermercados também colaborarão com a polícia emprestando veículos para que as forças de segurança se mobilizem de forma mais rápida em casos de saques ou incidentes nas próximas semanas.

Desde a semana passada, 13 pessoas já morreram em confrontos entre saqueadores e forças de segurança, depois que uma greve de policiais regionais afetou todo o país. Na província de Tucumán, no norte do país, foram registradas cinco mortes.

Precaução. Além da oferta de cestas natalinas, o governo pretende também reforçar a segurança.  A Casa Rosada monitora "zonas de risco" nos 24 municípios da área metropolitana, onde vivem mais de 10 milhões de pessoas - 25% do total da população da Argentina para evitar episódios violentos às vésperas do Natal.

Oitenta grandes supermercados já foram colocados sob vigilância reforçada. Além disso, para a semana que vem, o governo mobilizará 10 mil homens da Gendarmeria, força especial de segurança especializada em dissolver manifestações.

O secretário de Segurança, Sergio Berni, afirmou que há convocações de saques nos municípios da Grande Buenos Aires e na própria capital nos dias 19 e 20, datas que coincidem com o aniversário dos saques que provocaram a queda do presidente Fernando de la Rúa, em 2001.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinasaques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.