Buenos Aires teve dia de tranqüilidade

Depois de viver um tumultuado dia 1º de janeiro, marcado por violentas batalhas de rua entre grupos de esquerda e partidários do peronismo próximas ao Congresso e por panelaços em vários bairros da capital, Buenos Aires viveu hoje um dia tranqüilo. Cenário de vários protestos dias atrás, a própria Plaza de Mayo, em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino, foi hoje palco para fogos, aplausos e manifestações de apoio ao novo presidente, Eduardo Duhalde. A se julgar pelo humor que dominou hoje a Plaza de Mayo, Duhalde parece ter o respaldo popular que faltou a seus antecessores. Durante a cerimônia de posse, por volta das 13h (hora de Brasília), cerca de 3 mil pessoas se reuniram na Plaza de Mayo, sendo que a esmagadora maioria estava lá para dar apoio ao novo presidente. Não se viram grupos de oposição e também não houve qualquer enfrentamento entre os manifestantes. O número de polícias na área não ultrapassou 200, segundo informações oficiais. Durante a tarde, as áreas próximas ao Congresso e à Casa Rosada também não registraram aglomerações ou protestos. Houve, em algumas províncias, protesto de desempregados, mas não foram registrados atos de violência. Mas como nos últimos dias a maioria dos protestos tem ocorrido à noite ou de madrugada, Duhalde só terá uma idéia mais clara do tamanho de seu apoio popular nas próximas 12 horas. Leia o especial

Agencia Estado,

02 Janeiro 2002 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.