PIUS UTOMI EKPEI / AFP
PIUS UTOMI EKPEI / AFP

Buhari é reeleito presidente na Nigéria; opositor não reconhece resultado

Comissão eleitoral nigeriana afirmou que atual governante recebeu 15,2 milhões de votos no último sábado, 23; partido do segundo colocado, Atiku Abubakar, diz ter detectado irregularidades

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2019 | 03h30

ABUJA - O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, foi reeleito para mais quatro anos de mandato após a eleição realizada no último  sábado, 23. A vitória foi anunciada nesta quarta-feira, 27, pela Comissão Eleitoral Independente da Nigéria (INEC, sigla em inglês).

O Partido Democrático Popular (PDP), de seu rival Atiku Abubakar, não reconheceu os resultados, que dão quatro milhões de votos a mais ao atual presidente.

Segundo a apuração da comissão eleitoral, o partido de Buhari - Congresso de Todos os Progressistas (APC) - ganhou em 19 dos 36 Estados, enquanto o PDP venceu em 17 Estados e na capital Abuja.

O presidente obteve cerca de 15,2 milhões de votos, enquanto Abubakar ficou com pouco mais de 11,2 milhões.

"Muhammadu Buhari, da APC, tendo cumprido as exigências da lei e obtido o maior número de votos, é declarado vencedor e é reeleito", afirmou o presidente da INEC, Mahmood Yakubu.

A participação nas eleições foi baixa, já que dos 82,34 milhões de eleitores registrados, o número total de eleitores credenciados ficou em 29,36 milhões.

O PDP tinha já havia rejeitado os resultados. O partido opositor sustenta que seus representantes detectaram "irregularidades" nos resultados de alguns Estados e acusou o atual governo de "confabular" com o órgão eleitoral.

De acordo com dados de observadores de associações civis, incidentes violentos no dia da eleição deixaram pelos menos 39 pessoas mortas na Nigéria no dia da eleição presidencial. \ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.