Vassil Donev / EFE
Vassil Donev / EFE

Bulgária extradita francês suspeito de terrorismo

Fritz-Joly Joachin aceitou de forma voluntária ser extraditado do país e entregue à autoridades francesas; ele foi preso no dia 1.º na fronteira entre a Bulgária e a Turquia

O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2015 | 15h45

SÓFIA - Uma corte da Bulgária decidiu extraditar um homem de nacionalidade francesa acusado de ter ligações com os irmãos que fizeram os ataques à redação do jornal satírico Charlie Hebdo, no começo do mês em Paris.

Fritz-Joly Joachin, de 29 anos, aceitou de forma voluntária ser extraditado do país e entregue à autoridades francesas. Ele foi preso no dia 1.º na fronteira entre a Bulgária e a Turquia. A polícia o procurava porque ele era suspeito de ter raptado seu filho de 3 anos e o levado para a Síria.

Em razão dos atentados em Paris, um segundo mandado de prisão foi emitido contra Joachin, acusando o francês de participar de um grupo com aspirações terroristas ligado a uma rede que organiza e envia voluntários para lutar ao lado de extremistas na Síria. De acordo com a acusação, ele esteve em contato com um dos responsáveis pelo ataque ao Charlie Hebdo dias antes de começar a sua jornada. Se for considerado culpado, Joachin pode pegar até 10 anos de prisão.

Segundo o advogado búlgaro do francês, Radi Radev, seu cliente nega qualquer envolvimento com terrorismo ou grupos terroristas. A decisão da Corte não dá uma data exata para a extradição, mas oficiais afirmaram que ela deve ocorrer nos próximos dez dias. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Bulgáriaextradiçãoterrorista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.