Bulgária realiza primeiras eleições desde sua entrada na UE

Cerca de 6,8 milhões de búlgaros elejem 240 deputados que os representarão nos próximos quatro anos

EFE,

05 Julho 2009 | 01h41

A Bulgária realiza neste domingo, 5, suas primeiras eleições parlamentares desde que entrou na União Europeia (UE), em 1º de janeiro de 2007, e as sétimas desde a queda do comunismo em 10 de novembro de 1989.

 

Os 11.404 colégios eleitorais da Bulgária abriram às 6 horas (0 hora de Brasília) para que cerca de 6,8 milhões de búlgaros elejam os 240 deputados que os representarão durante os próximos quatro anos.

 

No total, 20 partidos e coalizões concorrem no pleito no qual os favoritos são o opositor direitista, Cidadãos para Desenvolvimento Europeu da Bulgária (Gerb), liderado pelo prefeito de Sófia, Boiko Borisov; e o Partido Socialista Búlgaro (BSP), liderado pelo primeiro-ministro, Serguei Stanishev.

 

O populista Borisov, um ex-guarda-costas, se apresentou como um paladino contra a corrupção que reina em todos os níveis da Administração pública, e que provocou que a Comissão Europeia (CE) privasse a Bulgária de 500 milhões de euros em ajudas no ano passado.

 

O pleito de hoje promete passar sob a sombra de dois fatores que desempenharam um papel decisivo para os resultados finais: a compra e venda de votos e a migração de eleitores com dupla cidadania vindos da vizinha Turquia.

 

Apesar de todos os partidos advertirem em suas mensagens eleitorais que a compra de votos é um delito, várias investigações jornalísticas revelaram que emissários dos partidos chegaram a oferecer aos cidadãos entre 25 e 50 euros por voto.

 

A ONG "Transparência Sem Limites" anunciou que mais de 415 mil búlgaros já venderam seu voto, principalmente por motivos de pobreza.

 

Cerca de 55 observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (Osce) foram deslocados para o país para evitar fraudes durante as votações.

 

O outro fenômeno, a chegada de eleitores da Turquia, se repete há 20 anos em cada convocação eleitoral.

 

Segundo dados não oficiais, na Turquia vivem mais de 120 mil pessoas com dupla cidadania, búlgara e turca, e uma considerável parte deles vão votar no partido da minoria turca na Bulgária, o Movimentos de Direitos e Liberdades (DPS).

 

Vários meios locais preveem que esses votos podem assegurar pelo menos quatro cadeiras ao DPS.

 

Os colégios eleitorais fecharão suas portas à 19 horas (13 horas de Brasília) e os primeiros resultados oficiais serão anunciados não antes das 23 horas (17 horas de Brasília).

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesbulgária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.