Burocracia retém doação do Brasil à Somália

Mais de 50 mil toneladas de alimentos do Brasil que poderiam estar salvando vidas na Somália e Etiópia estão bloqueados por causa de um impasse financeiro na ONU. A região do Chifre da África vive a pior seca em 60 anos, que obriga milhares de pessoas a deixar suas cidades em direção a campos de refugiados em busca de alimento.

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2011 | 00h00

O Brasil anunciou a doação há um mês. O Estado apurou que, apesar do anúncio, a ONU não fechou um acordo para transportar o alimento, num claro exemplo dos problemas enfrentados pela entidade para garantir que a ajuda seja distribuída na região. No total, o governo brasileiro anunciou uma doação de 53 mil toneladas de feijão e milho, avaliados em US$ 27 milhões. O problema é que Brasília não paga pelo transporte da carga, cujo custo é estimado em mais de US$ 20 milhões.

Para permitir que o alimento chegue, a ONU precisa de outra parceria, ou pagar ela mesma pelo transporte. O Canadá e os EUA estariam entre os interessados em bancar o gasto, mas ainda não há uma solução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.