Alex Wong / Getty Images / AFP
Alex Wong / Getty Images / AFP

Burocrata do Departamento de Estado entrega documentos sobre impeachment ao Congresso

Steve Linick, inspetor-geral do Departamento de Estado dos EUA, deve informar comissões da Câmara e do Senado sobre possíveis retaliações políticas contra funcionários de carreira envolvendo o caso da Ucrânia

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2019 | 16h41
Atualizado 03 de outubro de 2019 | 15h54

WASHINGTON - O inspetor-geral do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Steve Linick, entrega nesta quarta-feira, 2, para comissões do Congresso documentos sobre casos recentes de possíveis retaliações políticas contra funcionários de carreira envolvendo o caso da Ucrânia, informaram duas fontes familiarizadas com o assunto.

Para Entender

O processo que pode levar ao impeachment de Trump

É possível que o presidente americano seja deposto? Como ficam as eleições americanas de 2020? Fique por dentro dessas questões com este conteúdo especial

O relato de Linick faz parte do inquérito de impeachment conduzido pelos democratas na Câmara dos Deputados para determinar se o presidente americano, Donald Trump, pediu ajuda de Kiev para investigar seu rival político, o democrata Joe Biden.

Após a divulgação de uma denúncia anônima na semana passada, os democratas analisam uma ligação telefônica em 25 de julho na qual Trump pediu ao presidente ucraniano Volodmir Zelenski para investigar Biden, um dos principais pré-candidatos democratas à Casa Branca.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que está em uma viagem de três dias à Itália, confirmou nesta quarta que ouviu o telefonema de Trump e Zelenski, e disse que a conversa foi centrada nas prioridades políticas dos EUA.

Linick é um dos poucos funcionários remanescentes do governo de Barack Obama - um fato que provavelmente resultará em acusações de enviesamento político caso ele forneça informações que sejam prejudiciais ao governo. Por lei, porém, os inspetores-gerais devem ser politicamente independentes.

Linick, que é responsável por fiscalizações independentes para combater desperdício, fraudes, abuso e a má administração do Departamento de Estado, deve fornecer as informações em uma reunião a portas fechadas com oito comissões do Congresso.

Um aviso sobre essa iniciativa do inspetor-geral divulgado na noite de terça-feira dizia que Linick entregaria documentos fornecidos pelo consultor jurídico interino do Departamento relacionados com o caso da Ucrânia, disse uma terceira fonte que falou sob condição de anonimato.

Para Entender

Impeachment nos EUA já atingiu três presidentes, mas nenhum foi deposto

Os democratas Bill Clinton, em 1998, e Andrew Johnson, em 1868 foram absolvidos pelo Senado; em 1974, Nixon renunciou antes da votação

Participam do encontro, iniciado às 16 horas (horário de Brasília) membros das Comissões da Câmara e do Senado sobre inteligência, relações exteriores, supervisão e dotações do governo, disseram os assessores do Congresso. O Departamento de Estado não respondeu aos pedidos de comentário.

Se o inquérito da Câmara resultar em artigos de impeachment ou acusações formais contra Trump, haveria um julgamento no Senado sobre a sua destituição. No entanto, os republicanos controlam o Senado e mostraram pouco interesse em remover Trump. / REUTERS e WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.