Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Burris assume como sucessor de Obama no Senado

Roland Burris assumiu ontem a vaga do presidente eleito Barack Obama no Senado dos Estados Unidos, encerrando um impasse após o presidente eleito e outros democratas se oporem inicialmente à nomeação realizada pelo governador de Illinois. "Aceito", disse com um sorriso Burris quando o vice-presidente Dick Cheney tomou o juramento do ex-secretário de Justiça de Illinois. Burris substitui Obama também no posto de único negro do Senado.Mais de uma semana após seus colegas começarem a trabalhar, Burris não enfrentou objeção nem uma votação sobre seu nome. Antes, o líder da maioria democrata, Harry Reid, havia dito que os senadores fariam escutar suas vozes para decidir se aceitavam o substituto. Os membros da delegação de Illinois e do Grupo de Legisladores Negros se somaram aos senadores democratas e republicanos para ovacionar Burris de pé, apertar sua mão e abraçá-lo.Os democratas no Senado agora pareciam dispostos a deixar de lado as controvérsias. Reid elogiou Burris e disse que a resistência inicial não era contra ele, mas sim pela forma como o designou o governador de Illinois, Rod Blagojevich, acusado de tentar vender a cadeira até então ocupada por Obama no Senado. Pelas leis norte-americanas, em alguns Estados cabe ao governador apontar o sucessor de um posto vago no Senado. "Ao senador Burris, em nome de todos os senadores, democratas e republicanos, damos a ele as boas-vindas como colega e amigo", discursou Reid. Burris falou que sua nomeação era "um sonho tornado realidade", prometeu proteger a Constituição e dar seu melhor como representante de Illinois. A calorosa recepção da quinta-feira contrastou com o tratamento da semana passada, quando Burris se apresentou no Capitólio para jurar, porém foi recusado. Reid e o senador por Illinois Dick Durbin disseram que a designação de Burris não era válida pelas regras do Senado.Porém Burris resistiu e finalmente os líderes democratas cederam ante as pressões de Obama e outros democratas, preocupados com o episódio que desviava a atenção de questões mais importantes e prejudicou a imagem do partido - o suspeito por corrupção Blagojevich também é um democrata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.