Busca por avião pode demorar, diz premiê australiano

Equipes acreditam que sinais detectados nesta semana são de aeronave da Malaysia Airlines

AE, Agência Estado

12 de abril de 2014 | 08h38

As equipes de busca continuam a mostrar um "alto grau" de confiança de que os sinais detectados nesta semana são do voo 370 da Malaysia Airlines, disse o primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, neste sábado, 12, mas ele advertiu que as operações no sul do Oceano Índico são difíceis e devem levar "um longo período de tempo".

"Ninguém deve subestimar a dificuldade da tarefa que ainda está pela frente", disse Tony Abbott a repórteres em Pequim no final de uma visita diplomática.

Mais cedo, coordenadores da busca pelo avião disseram que não tinham detectado há 24 horas sinais conhecidos como "pings" a partir do que eles suspeitam ser as caixas-pretas do avião.

"Até agora não há detecções acústicas confirmadas ao longo das últimas 24 horas", disse o Centro de Coordenação Conjunta de Agências em um comunicado, acrescentando que os objetos recuperados do mar na sexta-feira não devem ser parte de destroços.

A perda de contato ocorreu depois que nove aviões militares, uma aeronave civil e 14 navios retornaram à busca. As autoridades estão tentando reduzir ainda mais o tamanho da área analisada, antes de as baterias das caixas-pretas perderem toda a força.

As autoridades também querem reduzir a área de busca antes de usar veículos submarinos autônomos, que podem analisar mais de perto o fundo do mar. Fonte: (Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
malásiaaviãobusca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.