Bush acusa críticos da guerra de "revisionismo histórico"

O presidente dos EUA, George W. Bush, atacou aqueles que o acusam de exagerar ou distorcer informes sobre as armas de destruição em massa do Iraque a fim de justificar a guerra, reafirmando que o importante é que agora ?o povo iraquiano é livre?. ?Sei que muitos desejam impor um revisionismo histórico. Mas ele (Saddam Hussein) não é mais uma ameaça ao mundo livre?, disse, numa faculdade nos arredores de Washington.Mais de dois meses depois da invasão do Iraque, não há nenhuma prova concreta de que o país árabe possuísse armas proscritas, o principal pretexto usado por Washington para iniciar a guerra. O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse a jornalistas que o presidente ainda espera que tais armas sejam encontradas. Perguntado sobre o que Bush queria dizer com ?revisionismo histórico?, Fleischer respondeu: ?Trata-se da idéia de que Saddam Hussein não tinha armas de destruição em massa antes da guerra?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.