Bush acusa oposição democrata de pôr os EUA em risco

O presidente George W. Bush, acusou neste sábado, 7, os democratas de porem em risco os Estado Unidos ao tentarem limitar o orçamento destinado às operações militares no Iraque e no Afeganistão. Em seu programa semanal de rádio, Bush defendeu a liberação de mais US$ 100 bilhões para este fim. A chamada guerra contra o terror já custou mais de U$S 300 bilhões.Segundo Bush, enquanto a população é "abençoada por bravos militares do serviço voluntário, democratas do Congresso estão colocando em risco sua segurança". Ele afirmou que reconhece o direito de os democratas "manifestarem sua oposição à guerra", mas lembrou que "os gastos não são uma ação política"."Nossos homens e mulheres ainda estão nos uniformes, os gastos com a guerra não são uma ação política, são uma busca por um fundo que tem impacto no cotidiano dos envolvidos na guerra", disse Bush.O presidente reafirmou a promessa de vetar o cronograma que o Congresso aprovou para a retirada das tropas norte-americanas do Iraque. Bush tem repetidamente afirmado que o Iraque pode mergulhar no caos se as forças dos aliados deixarem o país.Em resposta às afirmações de Bush, o líder do Partido Democrata, Howard Dean, afirmou que "está na hora de o presidente mostrar respeito pelo povo norte-americano, que apóia a saída do Iraque". A declaração foi dada no programa de rádio semanal dos democratas.Em quatro anos, mais de 3.200 americanos e dezenas de milhares de iraquianos foram mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.