Bush acusado de transformar imigrantes em bodes expiatórios

O Partido Democrata culpou neste sábado o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e os republicanos de bloquear a reforma migratória através de uma campanha para transformar os imigrantes em "bodes expiatórios". A congressista pela Califórnia Hilda Solis afirmou, durante o discurso semanal de rádio de seu partido, que Bush e o líder da maioria republicana no Senado, Bill Frist, "precisam de uma liderança real" para impedir os extremistas de seu partido de descarrilar a reforma migratória. A incapacidade de Frist e do líder da minoria democrata no Senado, Harry Reid, de chegar a um acordo impediu que a câmara alta aprovasse, neste mês um projeto de lei de reforma migratória. Os lideres políticos não entraram num acordo sobre o procedimento a seguir para votar várias emendas a uma legislação que reforçaria a segurança nas fronteiras, criaria um programa de empregados temporários e ofereceria um caminho para a cidadania a muitos imigrantes ilegais. "O que os EUA viram durante as últimas semanas não ocorreu da noite para o dia", disse Solis, filha de imigrantes latino-americanos. A congressistas afirmou que Partido Republicano começou há tempos uma estratégia destinada a transformar os imigrantes em "bodes expiatórios", a fim de dividir os eleitores e ganhar as eleições. A legisladora afirma que essa tática é semelhante à utilizada, pelo partido no poder, com os casamentos gay. Os republicanos fizeram de sua rejeição à união entre casais do mesmo sexo um dos cavalos de batalha das últimas eleições, e muitos afirmam que esse foi um dos fatores cruciais na reeleição de Bush. Solis também criticou a legislação aprovada pela Câmara dos Representantes em dezembro, que criminaliza os imigrantes ilegais, ao descrevê-la como "um assalto" aos imigrantes. A legislação da Câmara dos Representantes, do republicano por Wisconsin, James Sensenbrenner, colocou a comunidade hispânica em pé de guerra e foi um dos principais motivos das grandes manifestações que ocorreram na segunda-feira passada em todo o país. "O povo americano quer mudança, não mais das mesmas propostas migratórias ineficazes para transformar os imigrantes em bodes expiatórios", disse Solis. O discurso dos democratas desta semana responde ao pronunciado no sábado passado por Bush, que culpou Reid de bloquear a votação de um projeto de lei de reforma migratória, e pediu ao político da oposição que colocasse fim a suas "táticas". Reid respondeu no sábado passado, após o discurso de Bush, que os democratas estão "comprometidos com uma reforma migratória ampla e bipartidária".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.