Bush adverte Coréia do Norte sobre transferência nuclear

Os Estados Unidos considerarão uma "grave ameaça" a pretensão da Coréia do Norte de transferir tecnologia nuclear, advertiu nesta quinta-feira o presidente George W. Bush em um discurso feito na Universidade Nacional de Cingapura. O programa nuclear da Coréia do Norte será um dos assuntos principais da cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) neste fim de semana em Hanói, para onde Bush viajará na sexta-feira na segunda etapa de sua viagem pelo Sudeste Asiático. A Coréia do Norte, segundo Bush, deve dar "passos concretos" para demonstrar que verdadeiramente pretende renunciar a seu programa de armamento nuclear. Em seu discurso, Bush falou basicamente sobre a cooperação dos EUA e os países asiáticos. O presidente americano assegurou que um dos maiores perigos que a região enfrenta é o risco de que os grupos terroristas possam ter acesso a armamento de destruição em massa. "Na região da Ásia-Pacífico, a ameaça mais imediata de proliferação provém da Coréia do Norte", afirmou Bush. O presidente insistiu em que "qualquer transferência (de tecnologia nuclear) por parte da Coréia do Norte será considerada pelos EUA como uma grave ameaça, e esse país terá que responder plenamente por isso". No entanto, considerou "encorajadoras" as recentes afirmações do Governo de Pyongyang de que está disposto a retornar às conversas multilaterais para renunciar a seu programa atômico. As conversas, das quais participam EUA, as duas Coréias, Rússia, China e Japão, estão estagnadas desde setembro de 2005. "Os EUA querem que estas conversas tenham êxito e estamos dispostos a cumprir nosso compromisso", assegurou Bush. No entanto, o presidente disse que o sucesso das negociações dependerá da Coréia do Norte, que deve demonstrar sua seriedade "dando passos concretos" para pôr fim a seu programa atômico. Bush pediu a seus aliados que se oponham com firmeza ao programa nuclear da Coréia do Norte, que descreveu como "a ameaça de proliferação (de armas nucleares) mais imediato" na região. Pediu também que os países implementem sanções impostas pelas Nações Unidas à Coréia do Norte por ter feito os testes nucleares em outubro. Relações comerciais No discurso, Bush repassou os diferentes aspectos das relações com os países asiáticos e enfatizou o aspecto comercial. "A expansão do comércio é a via mais segura rumo à prosperidade", assegurou o presidente dos Estados Unidos, antes de expressar seu apoio à possível criação de uma área de livre-comércio entre os países da Apec. "Essa idéia merece ser analisada seriamente". O presidente também pediu aos países asiáticos que retome as negociações comerciais da rodada de Doha na Organização Mundial do Comércio (OMC), que foram suspensas por tempo indeterminado em junho.

Agencia Estado,

16 Novembro 2006 | 12h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.