Bush afirma estar aberto a sugestões sobre o Iraque

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou nesta quinta-feira que está aberto a sugestões sobre a política a ser adotada em relação ao Iraque, após a vitória democrata nas eleições legislativas de terça-feira. Em uma breve declaração junto a seu gabinete nos jardins da Casa Branca, Bush disse que almoçará nesta quinta-feira com os líderes democratas no Senado e na Câmara de Representantes, com os quais analisará o caminho a seguir após as eleições. Os democratas basearam boa parte de sua campanha eleitoral nas críticas à política do governo com relação ao Iraque, onde ainda há 140.000 soldados dos EUA. Desde o início da guerra cerca de 2.800 militares americanos morreram em solo iraquiano. Bush afirmou em uma breve declaração junto com seu gabinete nos jardins da Casa Branca que "não importa de que partido alguém seja, todos temos a responsabilidade de garantir que as tropas contem com os recursos e o apoio que precisam para conseguirem se impor" no Iraque. Portanto, ele afirmou que está "aberto a qualquer idéia ou sugestão que nos ajude a conseguir nossas metas de derrotar os terroristas e garantir o sucesso do governo democrático no Iraque". Bush, que após a vitória democrata expressou sua disposição de colaborar com a nova maioria, afirmou que almoçará nesta quinta-feira com os líderes democratas no Senado e na Câmara de Representantes, com os quais analisará o caminho a seguir após a disputa eleitoral. Além da situação no Iraque, eles analisarão a agenda legislativa do novo Congresso. Bush apontou, entre as prioridades que vai destacar, a aprovação da Lei de Vigilância aos Terroristas e uma nova norma sobre energia. O presidente também destacou a necessidade de aprovar o pacto nuclear alcançado com a Índia em fevereiro, para que este país possa ter acesso a tecnologia atômica estrangeira, e a liberação dos EUA para a entrada do Vietnã na Organização Mundial do Comércio.

Agencia Estado,

09 Novembro 2006 | 14h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.