Bush ameaça cortar fundos de auxílio ao Paquistão, diz <i>NYT</i>

Os Estados Unidos pediram neste domingo que o Paquistão endureça os trabalhos de investigação e repressão à Al-Qaeda no território paquistanês. George W. Bush fez um ultimato ao colega paquistanês, Pervez Musharraf - um de seus principais aliados no Oriente. Em tom de ameaça, o presidente norte-americano mandou a mensagem de que o novo Congresso americano, dominado pelos democratas, pode cortar recursos de auxílio ao país, caso as forças paquistanesas não reforcem o combate ao grupo terrorista de Osama bin Laden. A informação é do jornal New York Times.A decisão foi tomada após a Casa Branca concluir que o general Musharraf não vem cumprindo os acordos fechados com Bush, durante sua visita aos Estados Unidos, em setembro do ano passado. Em contrapartida, o presidente paquistanês tem insistido que trabalha na tentativa de alcançar um tratado de paz com líderes tribais, na fronteira com o Afeganistão - uma das regiões dominadas pela Al-Qaeda e por talebans.Autoridades da inteligência americana concluíram que a infra-estrutura terrorista está em franca reconstrução e que enquanto o Paquistão atacou apenas alguns acampamentos reconhecidos como de talebans. "Embora o general tenha feito alguns trabalhos de combate nos últimos meses, a impressão que se tem é de que agora, ações repressoras contra a Al-Qaeda não estão entre as prioridades do presidente", afirmou um oficial graduado ao New York Times. "A mensagem que nós estamos enviando a ele agora é que a única coisa que importa são os resultados", completou.Os democratas, que tomaram controle do Congresso no último mês, têm exigido que a Casa Branca pressione o Paquistão. De acordo com integrantes da inteligência norte-americana, há indícios de que os paquistaneses têm conexões com unidades do taleban fixadas na fronteira do país com o Afeganistão - aumentando o poder da organização.Autoridades de inteligência americana apontam que também há indícios que as principais lideranças da Al-Qaeda estão no Paquistão e que eles estão restabelecendo "controle significante" na rede terrorista. Além disso, os oficiais reforçaram que vêm monitorando campos de treinamento, ao norte da província do Waziristão - uma área tribal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.