Bush anuncia ampliação no acesso a planos de saúde

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, anunciou neste sábado planos para iniciar uma reforma tributária, baratear os planos de saúde e conseguir que mais cidadãos possam ter acesso à cobertura médica. "Nosso desafio está claro (...). Devemos fazer frente aos crescentes custos para que mais americanos possam se permitir um seguro básico de saúde", disse o presidente em seu habitual discurso por rádio dos sábados.Bush detalhará mais sua proposta no discurso sobre o Estado da União que pronunciará na próxima terça-feira, mas adiantou neste sábdo sua intenção de propor uma série de incentivos para estender o acesso aos planos de saúde privados.Seriam incentivos fiscais, semelhantes aos que existem para os cidadãos que compram uma casa.O atual regulamento fiscal americano "penaliza" os que não têm uma cobertura médica através de seu trabalho e incentiva os trabalhadores a escolher os planos mais caros, segundo o presidente.O resultado, prosseguiu, é que as gratificações de seguros aumentam e "muitos americanos não podem se permitir ter a cobertura que precisam".Calcula-se que entre 46 e 48 milhões de cidadãos dos EUA não têmnenhum tipo de cobertura médica, muitos dos quais trabalham, massuperam o limite de renda fixado para poder escolher um dos programas de saúde governamentais.Bush disse, no entanto, que "os americanos têm sorte por ter o melhor sistema de cuidado médico do mundo".Após lembrar que seu governo cumpre a missão de cobrir as necessidades de saúde dos setores mais vulneráveis da população, com programas como o Medicare e o Medicaid, disse que, "para todos os outros, os planos privados de saúde são a melhor opção para cobrir suas necessidades".Na próxima terça-feira, no discurso sobre o Estado da União, Bushproporá "uma reforma tributária delineada para tornar mais acessívela cobertura médica privada, tanto através do trabalho quanto porconta própria", disse.A proposta do presidente americno inclui medidas também para ajudar os governadores dos diferentes estados dos EUA a poder reduzir o número de pessoas que estão sem plano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.