Bush assume discurso em que fez acusação infundada

O presidente George W. Bush assumiu nesta quarta-feira responsabilidade pessoal por um trecho de seu discurso de janeiro sobre o Estado da União em que sugeriu que o deposto presidente Saddam Hussein estava tentando comprar material nuclear na África. ?Assumo total responsabilidade pessoal por tudo que digo?, disse o presidente durante uma entrevista de uma hora de duração na Casa Branca na qual ele tentou pôr fim a uma controvérsia que vem perseguindo sua administração nas últimas semanas. Bush também expressou forte apoio à sua conselheira de Segurança Nacional, Condoleezza Rice, defendendo-a das críticas sobre seu papel na controvérsia. Falando em sua primeira entrevista sozinho desde março, o presidente disse que as mortes dos dois filhos de Saddam Hussein marcaram um avanço nos esforços para convencer o povo iraquiano de que o regime não voltará. Reconheceu, no entanto, não saber ?quão perto estamos? de encontrar o derrubado ditador. ?Estamos mais perto do que estávamos ontem, suponho. A única coisa que sei é que continuamos em busca (dele)?. Bush também disse que existe ?uma ameaça real? de um novo atentado da rede terrorista Al-Qaeda nos EUA, em apoio a um alerta lançado pelo Departamento de Segurança Interna de que a organização ligada aos atentados de 11 de setembro pode tentar novos seqüestros suicidas. ?Confio em que conseguiremos evitar esses atentados?, acrescentou o presidente, sem se estender sobre as razões de sua confiança. Apesar das recentes mortes de soldados americanos no pós-guerra no Iraque, Bush pediu paciência enquanto os iraquianos tentam formar uma sociedade nova e livre. ?Eu não esperava que um Thomas Jefferson aparecesse no Iraque num prazo de 90 dias?, disse o mandatário, numa referência ao prestigioso ex-presidente americano.

Agencia Estado,

30 Julho 2003 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.