Bush autoriza congelamento de bens dos suspeitos no caso Hariri

O presidente americano, George W. Bush, autorizou nesta quarta-feira o congelamento dos bens de qualquer pessoa ou entidade envolvida no assassinato, em 2005, do primeiro ministro do Líbano Rafik Hariri.Bush falou sobre as suspeitas de envolvimento da Síria no bombardeio que matou Hariri e outras 20 pessoas. Segundo uma comissão investigativa das Nações Unidas (ONU), agentes da inteligência síria e libanesa teriam participado do plano que resultou na morte do premier. O presidente sírio, Bashar Assad, negou as acusações.Através de uma ordem executiva, Bush autorizou o secretário do Tesouro americano, John Snow, a congelar os bens de pessoas que estejam sendo investigadas no caso da morte de Hariri ou que obstruam o trabalho dos investigadores da ONU. A ordem determina os critérios utilizados para que o Ministério do Tesouro baseie seu julgamento.O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional americano, Frederick Jones, disse que a ordem foi uma evidência tangível do comprometimento do presidente para que a justiça seja feita. "É uma nova ferramenta na implementação de uma ação contra aqueles que são cúmplices no assassinato do primeiro-ministro Hariri", acrescentou.A medida completa uma outra ordem executiva emitida por Bush em 2004 declarando emergência nacional nos Estados Unidos em relação à Síria em conseqüência do assassinato de Hariri. Essa declaração permite a implementação de sanções e outras penalidades contra um dos governos envolvidos no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.