Bush autoriza investida contra iranianos no Iraque, diz Rice

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, disse que o presidente George W. Bush autorizou investidas contra iranianos no Iraque, segundo o jornal americano The New York Times. Rice alegou que Bush agiu "após um período em que foi observado o aumento de atividade" de iranianos no país. Militares americanos afirmam que os mais sofisticados explosivos utilizados contra tropas dos Estados Unidos são fabricadas no Irã. A secretária embarcou neste sábado para o Oriente Médio, com o objetivo de conquistar apoio à nova estratégia americana para a guerra. O tour também incluirá uma tentativa de aproximar palestinos e israelenses em uma nova iniciativa para a paz. Bush anunciou um incremento de mais de 20 mil soldados no contingente militar americano que está no Iraque, e alertou a Síria e o Irã para que não interfiram no conflito - o que criou especulações sobre uma eventual ampliação do guerra para além das fronteiras sírias e iranianas. Além disso, na quinta-feira, seis iranianos foram presos por forças americanas no norte do Iraque. Apesar de negar uma eventual ampliação do conflito, Condoleezza apoiou o pedido do presidente Bush para que as tropas executem missões de busca e destruição contra grupos suspeitos de construírem bombas para uso no Iraque. Além dos congressistas democratas - e de alguns republicanos -, a maioria dos americanos já não apóiam a guerra ou a maneira como Bush está lidando com ela, indicaram pesquisas de opinião publicadas ao longo da semana. A administração Bush pretende contar com o apoio do primeiro ministro Iraquiano, Nuri al-Maliki, para que o plano para acabar com a violência sectária em Bagdá, anunciado na quarta-feira, tenha efeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.