Bush condena atentado no Egito e promete justiça

O presidente americano George W. Bush condenou as explosões na cidade egípcia de Dahab nesta segunda-feira e jurou levar os terroristas à justiça. Os ataques, perpetrados contra um hotel, um restaurante e um supermercado da cidade, deixaram cerca de 22 mortos e pelos menos 150 feridos, segundo a agência de notícias Associated Press. "Hoje nós vimos novamente que os terroristas estão dispostos a tentar definir o mundo do jeito que eles querem ver", disse Bush durante um discurso para levantar fundos para o republicando Jon Porter no Hotel Venetian Casino, em Las Vegas."Condeno veementemente as mortes que aconteceram, as vidas inocentes perdidas no Egito", afirmou. "Este é um ato abominável contra civis inocentes", acrescentou o presidente. Os ataques acontecem um dia depois de vir a público uma fita em que o líder da Al-Qaeda Osama bin Laden alega que cidadãos ocidentais são alvos legítimos para os atentados terroristas, uma vez que são responsáveis pelo apoio a governos que estão em uma "cruzada" contra o Islã. As explosões atingiram o centro da cidade no início da noite, horário em que muitos turistas estão nas ruas. Dahab fica no Golfo de Aqaba, próximo a fronteira com Israel, e é um dos destinos preferidos de jovens israelenses praticantes de mergulho e que procuram acomodações baratas na região. Nos últimos dois anos, ao menos 100 pessoas morreram em vários pontos turísticos do Sinai. "Os Estados Unidos enviam suas condolências às famílias daqueles me morreram", disse o presidente. "Nós manteremos aqueles que ficaram feridos em nossos pensamentos e orações, e eu garanto ao inimigo: nos manteremos na ofensiva e não desistiremos. Nós faremos justiça em nome da paz e da humanidade", concluiu.De acordo com o governo egípcio, os militantes que realizaram os ataques não teriam ligações com grupos terroristas internacionais. Fontes de outras agências de segurança, no entanto, afirmaram que existe a suspeita de que a Al-Qaeda esteja por trás dos atentados. Segundo uma rede de TV local citada em uma reportagem da BBC, as explosões parecem ter sido causada por controle remoto, e não com atacantes suicidas.Um funcionário da embaixada da França no Cairo confirmou a presença de "dezenas" turistas franceses em Dahab. "A embaixada está investigando se há cidadãos franceses entre as vítimas", disse o diplomata sob condição de anonimato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.