Bush convence UE a pressionar o Irã

Em sua última viagem à Europa, presidente dos EUA obtém do bloco europeu compromisso de ampliar sanções a Teerã

AP e Reuters, Kranj, Eslovênia, O Estadao de S.Paulo

11 de junho de 2008 | 00h00

O presidente americano, George W. Bush, e líderes da União Européia ameaçaram ontem impor novas sanções contra o Irã, no esforço para coibir o desenvolvimento do programa nuclear iraniano. Em sua última visita à Europa antes de deixar a presidência, Bush afirmou que um Irã com armas nucleares seria uma ameaça para o mundo. O líder dos EUA participou de uma reunião com representantes do bloco em Kranj, na Eslovênia. "Eles podem enfrentar o isolamento ou ter boas relações com todos nós", disse o presidente americano sobre os líderes iranianos. No final da reunião, os líderes divulgaram um comunicado afirmando que novas sanções serão impostas, caso o Irã não comprove ter suspendido seu programa de enriquecimento de urânio."Aplicaremos todas as sanções aprovadas pela ONU e estamos dispostos a reforçá-las com medidas adicionais", segundo o comunicado. O texto divulgado ontem deixa claro que a comunidade internacional pretende agora pressionar as instituições financeiras iranianas. "Continuaremos a trabalhar juntos, tomando medidas para assegurar que os bancos do Irã não abusem do sistema internacional ao apoiar a proliferação e o terrorismo."Mesmo após o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado três listas de sanções - que incluem restrição da movimentação de bens, de viagens para alguns iranianos e negócios com companhias do país - , Teerã continua se recusando a suspender o enriquecimento de urânio, que pode ser usado tanto para a produção de energia (como alega o Irã) quanto para a construção de ogivas nucleares, como teme a comunidade internacional."Um grupo de países deve mandar uma mensagem clara para os iranianos: continuaremos isolando vocês, vamos seguir adotando sanções, caso vocês continuem rejeitando os pedidos do mundo livre", disse Bush.No encontro de ontem na Eslovênia, Bush e os líderes europeus também discutiram um acordo sobre mudança climática, o avanço nas negociações comerciais com a UE e a crise no Zimbábue.Depois do fim da cúpula, Bush partiu para a Alemanha, onde se reuniu com a chanceler alemã, Angela Merkel.ADVERTÊNCIA IRANIANANo mesmo dia em que a comunidade internacional ameaçou impor novas sanções, o ministro da Defesa do Irã, Mustafá Mohamed Najjar, disse que Israel terá uma resposta "muito dolorosa", caso empreenda uma ação militar contra o país. Na semana passada, Israel afirmou que um ataque ao Irã parecia inevitável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.