Bush cria Centro Integrado contra a Ameaça Terrorista

Enquanto a população americana teme atentados da rede terrorista Al-Qaeda, o presidente dos EUA, George W. Bush, anunciou a criação do Centro Integrado contra a Ameaça Terrorista, que começa a funcionar em 1º de maio. O novo centro, destinado a reunir e cruzar informações das várias agências de inteligência e segurança do país, contará com pessoal da polícia federal americana, o FBI, e da Agência Central de Inteligência (CIA) e funcionará provisoriamente na sede da CIA, em Langley, Virgínia.O novo organismo ficará sob a supervisão do diretor da CIA, George Tenet, e contará com uma ampla base de dados sobre terroristas e suspeitos de terrorismo nos EUA e no exterior.Ainda hoje, o jornal The New York Times informou que a decisão do governo americano de elevar de amarelo (risco médio) para laranja (alto risco) o nível de alerta para ataques terroristas foi tomada depois de os serviços de inteligência terem recebido informações de que a Al-Qaeda pretendia desfechar dois atentados, um dos quais em território americano.Citando funcionários da administração Bush, o jornal informa que a rede terrorista já tinha superado a fase de planejamento e realizava operações iniciais nos EUA e na Península Arábica.Mas a rede de TV ABC noticiou que as investigações que levaram à elevação do nível de alerta foram consideradas "inconsistentes" pelas agências de segurança do governo. A emissora informou que o alerta originou-se a partir de um detido da Al-Qaeda, que disse em interrogatório que a organização terrorista pretendia lançar um ataque com uma bomba radioativa - menos impactante do que uma arma nuclear, mas capaz de contaminar a atmosfera e vastas áreas. O interrogado, porém, foi considerado mais tarde "um farsante" pelos investigadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.