Bush cumprimenta Uribe e reafirma laços

Importante aliado dos Estados Unidos na América Latina, o recém-reeleito presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, recebeu nesta segunda-feira as congratulações do presidente americano, George W. Bush. Falando diretamente a Uribe por telefone, Bush elogiou os colombianos "por seu firme compromisso com a democracia". Segundo a edição digital do jornal colombiano El Tiempo, o porta-voz da Casa Branca Eryn Witcher destacou que o presidente americano reafirmou o apoio dos EUA na luta contra "narcoterrorismo" e no avanço do acordo de livre comércio firmado entre as duas nações.Também segundo o diário colombiano, Bush aproveitou para reiterar com Uribe a "firme amizade entre os dois países". A reeleição de Uribe vai na contramão da atual tendência latino-americana de consagrar líderes de centro-esquerda, como Hugo Chávez na Venezuela, Evo Morales na Bolívia ou mesmo Lula no Brasil.A amizade rendeu a Uribe mais de US$ 3 bilhões em ajuda militar, um dos fatores decisivos para o sucesso das políticas de combate à guerrilha de seu governo. O dinheiro serviu para ampliar a capacidade das Forças Armadas colombianas, que em quatro anos absorveu 100 mil novos homens. O resultado das mudanças foi um dos pilares da alta popularidade que garantiu o segundo mandato para Uribe: com as forças armadas renovadas e profissionalizadas, a Colômbia foi capaz de reaver parte significativa das regiões controladas pelas Farc, dando novas esperanças à população. Em contrapartida, o presidente colombiano foi um dos principais aliados dos EUA em seu ambicioso programa de erradicação das plantações de coca na América do Sul. A sintonia entre os governo Bush e Uribe também ganhou ajuste fino no âmbito comercial. Recentemente, os colombianos aprovaram um acordo bilateral que, se aprovado pelos legisladores de Washington, será o segundo maior pacto de livre comércio entre os EUA e um país latino-americano.Diálogo Em um tom diferente, o governo francês insistiu que o governo colombiano negocie com os grupos guerrilheiros na Colômbia.Ao parabenizar a reeleição de Uribe, o Ministério das Relações Exteriores da França expressou sua confiança "no diálogo nacional" que coloque "fim ao conflito no país".A Colômbia vive uma guerra civil entre o governo e a as guerrilhas de esquerda há quatro décadas. O governo francês disse esperar que seja possível um diálogo que permita "a libertação de reféns e prisioneiros". Em um comunicado, a França voltou a propor que ela, ao lado da Espanha e da Suíça, seja intermediária em uma negociação entre o governo e o maior grupo guerrilheiro da Colômbia, as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), para a libertação de reféns seqüestrados pelo grupo.Há quatro anos, a França vem acompanhando de perto o seqüestro, em 2002, da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, que possui a cidadania francesa.Uribe também foi parabenizado pelo governo do presidente venezuelano Hugo Chavez - que é seu arquiinimigo ideológico na Amércia Latina, apesar do crescimento do comércio bilateral entre os dois países.O vice-ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Valero Briceño, disse que "venceu a democracia" e destacou o fortalecimento da esquerda na eleição colombiana. Discurso Olhos marejados pela ampla vitória nas urnas, Uribe, de 53 anos, fez um apelo neste domingo ao Congresso Nacional para que aprove as medidas do seu segundo governo. Elas incluem o TLC (Tratado de Livre Comércio) assinado com os Estados Unidos, além da ampliação das ações no combate ao narcotráfico e à guerrilha. Em discurso aos eleitores, depois de anunciado o resultado das eleições, Uribe também pediu unidade ao país: ?A democracia é pluralista?, disse, "mas podemos debater no consenso?.Diante da euforia de seus partidários, que gritavam seu nome, ele disse: ?Não somos 7,3 milhões, somos 42 milhões de colombianos?, se referindo aos seus eleitores e o total de pessoas no país. ?Às vezes me pergunto de que material os colombianos são feitos, que sofreram tanto e vivem alegres", disse, sob aplausos.Democracia pluralista Uribe recebeu 62,2% dos votos, quase cinco milhões de votos a mais que o segundo colocado, Carlos Gaviria, do Pólo Democrático Alternativo, de esquerda. Ele recebeu um total de 7.363.297 votos. Primeiro presidente reeleito na Colômbia em mais de um século, Álvaro Uribe mandou um ?saludo? aos candidatos derrotados - Carlos Gaviria, do Pólo Democrático, e Horacio Serpa, do Partido Liberal. E insistiu que os ex-presidenciáveis provaram que existe uma democracia pluralista. ?Um jardim com muitas cores de idéias, mas com irmandade?, afirmou. ?O Pólo Democrático, de Gaviria, não é nosso inimigo. É nosso competidor na democracia?, ressaltou. Com 99,65% das urnas apuradas, Uribe tinha recebido 62,23% dos votos contra 22,03% de Gaviria, 11,83% de Serpa e 1,24% de Antanas Mockus, da Aliança Social Indígena.Uribe disse que também pretende ?aumentar a irmandade?, com maior integração, com os países e blocos da região, como o Mercosul e a CAN (Comunidade Andina de Nações). Ele não citou nomes, mas seus assessores dizem que ele pretende, em particular, intensificar a relação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo ele, um ?líder político pragmático? e ?importante? para a América Latina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.