Bush defende-se e defende invasão do Iraque

Com o índice de confiança da população em sua capacidade de liderança em queda, o presidente americano, George W. Bush, disse que o relatório preliminar sobre as buscas dos supostos arsenais proibidos de Saddam Hussein mostra que sua decisão de atacar o Iraque foi "correta".Apesar de o chefe da equipe de busca, o especialista da CIA David Kay, ter afirmado que não conseguiu encontrar armas de destruição em massa no Iraque, Bush destacou que o relatório indicou "dezenas de atividades vinculadas a arsenais proibidos"."Esse relatório provisório não é o final. Ainda há muito o que fazer sobre esses programas de armas", declarou Bush a jornalistas nos jardins da Casa Branca. "Mas os achados da equipe já deixam claro que Saddam Hussein enganava a comunidade internacional, que estava em flagrante violação das resoluções das Nações Unidas e era um perigo para o mundo."Indagado sobre os resultados pouco favoráveis das últimas pesquisas divulgadas no país, Bush respondeu: "Não tomo decisões com base em pesquisas. Tomo decisões baseadas no que considero importante para a segurança do povo dos EUA." O presidente também não se referiu ao escândalo do vazamento de informações sobre a agente secreta da CIA Valerie Plame, que teria tido a identidade revelada por funcionários da Casa Branca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.