Bush deixa Lima depois de visita de parcos resultados

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, partiu neste domingo do Peru para El Salvador deixando para trás desejos de cooperação, gestos de amizade e pelo menos 50 detidos que protestavam contra sua presença. O único anúncio de Bush nas quatro vezes que falou publicamente com seu colega peruano Alejandro Toledo foi sobre um acordo para a retomada da chegada dos membros do Corpo de Paz.O Corpo de Paz é uma instituição de ajuda social do Departamento de Estado dos EUA e foi expulso do Peru há 30 anos por governantes militares esquerdistas que qualificavam seus membros como agentes da CIA, o serviço secreto norte-americano.A visita causou grandes congestionamentos pelas ruas de Lima, uma cidade de quase 8 milhões de habitantes que também foi aproveitada para uma reunião, que não passou de protocolar, com os presidentes de Colômbia e Bolívia e o vice-presidente do Equador.Um café da manhã e uma entrevista coletiva com os presidentes Toledo, Andrés Pastrana (Colômbia) e Jorge Quiroga (Bolívia) e o vice-presidente do Equador, Pedro Pinto, foram cancelados. Não houve explicação oficial.Segundo analistas, a presença de Bush no Peru foi politicamente capitalizada por Toledo. Eles esperam que o momento seja aproveitado para a atração de investimentos externos para um país que sofreu com rebeldes insurgentes e desconfianças dos investidores estrangeiros durante as últimas duas décadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.