Bush deixará 2 mil soldados dos EUA sob comando de Blair

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, recompensará a lealdade de seu máximo aliado, oprimeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, colocandomilhares de soldados americanos sob o comando de oficiaisbritânicos em uma eventual guerra contra o Iraque, informou ojornal londrino The Guardian em sua edição de segunda-feira. De acordo com o diário, cerca de 2.000 fuzileiros navaisamericanos ficarão sob o comando de militares britânicos numaeventual tomada do povoado iraquiano de Basra, no sul do paísárabe. Segundo o The Guardian, a decisão foi classificada como decaráter "simbólico" e uma forma de reforçar a gratidão dopresidente americano para com seu principal aliado na criseiraquiana. O Ministério da Defesa britânico se recusou a comentar oartigo. Por sua parte, o porta-voz para assuntos internacionaisdo Partido Liberal, Menzies Campbell, conhecido por seusimportantes contatos diplomáticos com Washington, considerou adecisão de Bush "muito simbólica". "Trata-se de uma decisãocom muito significado político os Estados Unidos deixarem umgrande número de soldados americanos sob o comando de oficiaisbritânicos", afirmou. Também hoje, o ministro da Defesa Geoff Hoon confirmou achegada na Grã-Bretanha do primeiro dos 14 bombardeiros B-52americanos previstos. Os aviões aterrissarão na base da ForçaAérea Real de Fairford, no oeste da Inglaterra. Segundo Hoon, noentanto, isso não representa que uma decisão de ataque já tenhasido tomada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.