Bush deve admitir erros na Guerra no Iraque

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, deverá admitir hoje que a guerra no Iraque foi mais longa e mais cara do que seu governo esperava inicialmente, num pronunciamento hoje à noite em que abordará, além da guerra no Iraque, sua política para o Oriente Médio. O discurso foi obtido antecipadamente pela agência Associated Press. Segundo a AP, Bush defenderá a guerra e dirá que, apesar de ser verdade que o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein não participou dos ataques de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos, conforme chegou a acusar o governo americano, a decisão de derrubá-lo não pode ser vista fora do contexto dos ataques. Segundo ele, os serviços secretos internacionais pensavam à época que o Iraque possuísse armas de destruição em massa e, mesmo que hoje se saiba que a informação não procedia, os EUA não podiam correr o risco de "pagar para ver se era verdade ou não." No pronunciamento, Bush dirá também que enxerga progressos na busca por uma solução para o conflito entre israelenses e palestinos e reafirmará a posição americana de que as ambições nucleares do Irã devem ser contidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.