Bush devolve doações de lobista acusado de fraude

A campanha pela reeleição do presidente George W. Bush está abrindo mão de US$ 6.000 em contribuições de campanha ligadas ao lobista Jack Abramoff, que se declarou culpado em uma série de acusações de fraude e corrupção. Para tentar reduzir sua pena, Abramoff já se comprometeu em contar às autoridades o que sabe sobre propinas pagas a congressistas e assessores, em casos envolvendo desde cassinos online a serviços de telefonia móvel.a amplitude total da investigação ainda é desconhecida, mas investigadores dizem que pretendem se valer de vários e-mails e outros materiais que Abramoff possui para focalizar em cerca de 20 congressistas. O lobista mantinha relações estreitas com o Partido Republicano, o mesmo do presidente Bush. "O esquema de corrupção do sr. Abramoff é extenso e continuaremos a segui-lo aonde quer que ele leve", disse a secretária-assistente de Justiça Alice Fisher, encarregada da divisão criminal do Departamento de Justiça.As ramificações políticas do caso já são evidentes, com o Partido Democrata disposto a fazer da ética um tema quente nas eleições legislativas deste ano. A líder democrata Nancy Pelosi disse que as admissões de culpa de Abramoff não surpreendem, porque "este Congresso de maioria republicana é o mais corrupto da história, e o povo americano está pagando o preço".Abramoff levantou US$ 100.000 para a campanha eleitoral da chapa Bush-Cheney, mas o fundo de campanha devolverá apenas US$ 6.000 doados pessoalmente pelo lobista, sua mulher e uma tribo indígena que o lobista representava.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.