Bush dirá à ONU que invadir Iraque foi "decisão correta"

Funcionários da Casa Branca divulgaram nesta segunda-feira as linhas gerais do discurso que o presidente George W. Bush fará amanhã, na Assembléia Geral da ONU. Em síntese, ele dirá que a guerra contra o Iraque foi ?a decisão correta? e que agora é hora de pôr as diferenças de lado em prol de um esforço de reconstrução. Além disso, segundo os funcionários, Bush vai novamente bater na tecla das armas de destruição em massa, motivo alegado para a invasão do Iraque que, até agora, revelou-se inexistente. O presidente dos EUA pedirá que os países trabalhem contra a produção deste tipo de armamento. Sobre a possibilidade de abrir espaço maior para a ONU na administração do Iraque ocupado, Bush acha que não terá que ceder muito. ?Acho que seria de grande ajuda ter as Nações Unidas ajudando a escrever uma contituição. Eles são bons nisso?, disse ele. ?Ou então, quando houver uma eleição, eles vão supervisionar a eleição. Isso seria visto como um papel maior?, afirmou. As novas afirmações de Bush, assim como o anúncio de seu discurso na ONU, acontecem dias após os presidentes da França e da Rússia, Jacques Chirac e Vladimir Putin, terem falado contra a administração americana do Iraque ocupado. Da parte da ONU, as condições de trabalho no Iraque se deterioraram ainda mais com o segundo ataque ao Hotel Canal, sua sede em Bagdá. Em vez de pedir um papel maior para a organização na administração do Iraque, Kofi Annan agora manifesta preocupação com a segurança da ONU no Iraque. "Precisamos de um ambiente seguro para operar. Vamos em frente, mas é claro que se continuar a deteriorar, então nossas operações serão consideravelmente limitadas", disse o secretário-geral da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.