Bush diz a Putin que vai cortar arsenal nuclear

Os Estados Unidos vão reduzir subtancialmente o arsenal de ogivas nucleares nos próximos dez anos - de 7.206 para entre 1.750 e 2.200 -, prometeu hoje o presidente George W. Bush durante entrevista coletiva conjunta na Casa Branca com seu colega russo Vladimir Putin.O presidente russo chegou a Washington para uma cúpula de três dias com Bush, destinada a reduzir os arsenais nucleares, adotar medidas práticas contra o terrorismo internacional e estabelecer uma posição comum sobre o futuro governo do Afeganistão.Putin recebeu com satisfação a decisão do colega norte-americano, ressaltando que a "Rússia (que dispõe de 5.826 ogivas) tentará dar uma resposta semelhante".A maior parte da pauta de trabalhos será dedicada à questão da redução dos arsenais nucleares e dos planos norte-americanos para o desenvolvimento de um escudo antimíssil que, segundo os russos, violaria o tratado antimísseis balísticos de 1972 (ABM).AfeganistãoMas a tomada de Cabul pelos rebeldes da Aliança do Norte deu uma nova dimensão ao problema do Afeganistão. O presidente notte-americano havia pedido aos rebeldes que permanecessem fora de Kabul até a formação de um novo governo - posição era apoiada pelos russos.Bush disse que os EUA e a Rússia apóiam os esforços das Nações Unidas para o estabelecimento de um governo multiétnico em Cabul, que "não exporte droga nem terrorismo". Putin ressaltou que a Rússia continuará trabalhando em conjunto com os lideres rebeldes da Aliança do Norte, para evitar que violem os direitos humanos.Bush destacou que os dois países comprometem-se também a trabalhar em conjunto no combate ao terrorismo. "Vamos trocar informações e experiências para combater o bioterrorismo e evitar o tráfico de material nuclear." Uma vigilância rigorosa recairá sobre 900 toneladas de material russo que podem ser convertidas em armas nucleares.Guerra nas estrelasO presidente norte-americano admitiu que existem divergências entre ele e Putin sobre o projeto norte-americano de desenvolver um escudo antimísseis balísticos. A Rússia poderia retirar seu veto ao programa americano desde que os Estados Unidos a mantivessem informada sobre todas as etapas. Dessa forma, não consideraria o plano uma violação do ABM. Bush disse que trabalhará para revogar "leis da guerra fria" que restringem o comércio com a Rússia.Segundo a imprensa russa, Putin enfrenta grande descontentamento entre os oficiais russos, que observam com apreensão a surpreendente aproximação entre os dois governos depois dos atentados de 11 de setembro que, entre outras coisas, levou Putin a ceder bases do país na Ásia Central às forças norte-americanas que atuam no Afeganistão.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.