Bush diz manter esperança de paz no Oriente Médio

O presidente dosEstados Unidos, George W. Bush, afirmou hoje que não perdeusua esperança de paz no Oriente Médio, mas insistiu que os"terroristas" devem ser combatidos para que o "mapa docaminho" prospere. Bush falou em Maine, onde passa o fim de semana do Dia dosPais (comemorado hoje nos EUA) com sua família. A jornalistas,afirmou que deseja ajudar os palestino a combater os"terroristas", mas não ofereceu dinheiro nem armas àAutoridade Palestina para o combate de grupos como o Hamas. Ao invés disso, Bush assinalou que os Estados Unidos estãoajudando a liderança palestina a completar uma estratégia para areconstrução de suas forças de segurança "com o fim de garantirque os terroristas - os que odeiam as paz, os que não suportam aliberdade - não atinjam seus objetivos no Oriente Médio". O presidente do EUA disse acreditar que tenha ocorrido uma diminuiçãona violência depois da recente cúpula de Ácaba, na Jordânia, masreconheceu que terá uma tarefa difícil pela frente. "Tenhoconfiança que podemos atingir a paz", disse. "Será um caminhodifícil, mas estou decidido a manter o ímpeto deste governo parao avanço da paz". Durante a cúpula do último dia 4 na Jordânia, juntamente comos primeiros-ministros de Israel e palestino, Bush lançou umplano de paz, chamado Mapa do Caminho, que prevê o fim imediatode 32 meses de violência e o congelamento, por parte de Israel,das construções de assentamentos nos territórios ocupados. Ameta é a criação de um Estado palestino, que conviveria em pazcom Israel, para o ano de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.