Bush diz não aceitar novo ditador em Cuba

Presidente dos EUA nega-se a reconhecer governo de Raúl Castro

NYT E AP, O Estadao de S.Paulo

25 de outubro de 2007 | 00h00

Em seu primeiro discurso sobre Cuba desde que o líder Fidel Castro afastou-se do poder, o presidente dos EUA, George W. Bush, disse ontem que não vai tolerar a troca de "ditadores" na ilha e afirmou que está chegando o dia em que os cubanos serão livres.Bush disse que não reconhecerá o governo de Raúl Castro e reiterou que Washington prosseguirá com o embargo econômico ao país. "Não daremos ao governo cubano uma legitimidade que ele não merece", disse Bush, que anunciou algumas iniciativas modestas, como a permissão para que instituições beneficentes dos EUA ofereçam acesso à internet a estudantes cubanos e o lançamento de um programa de bolsas de estudo para jovens.John Kavulich, presidente da Câmara de Comércio EUA-Cuba, lembrou que as iniciativas propostas por Bush terão pouco impacto, já que estão sendo concedidas pela Venezuela. Phil Peters, especialista do Lexington Institute, acusou o presidente americano de insistir numa política ultrapassada."O governo ainda não se deu conta de que o regime cubano não termina com a morte de Fidel", disse. "A ascensão de Raúl pegou todo mundo desprevenido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.