Bush diz que atentados foram "atos de guerra"

O presidente George W. Bush disse hoje que os ataques terroristas em Nova York e Washington foram "atos de guerra" e afirmou que iria pedir ao Congresso verbas para ajudar na recuperação e para reforçar a segurança dos Estados Unidos. "Será uma luta monumental do bem contra o mal. Mas o bem irá prevalecer", disse o presidente. Os Estados Unidos, segundo ele estão prontos para gastar "o que for necessário".Funcionários do governo afirmaram hoje que pistas apontavam para o dissidente saudita Osama Bin Laden, abrigado no Afeganistão, como o responsável pelos ataques. Enquanto o secretário de Estado, Colin Powell, sugeria mais cedo que nenhuma resposta militar era iminente, Bush afirmou que "vamos unir o mundo" na guerra contra o terrorismo, sendo travada agora em solo americano.O Congresso retornou hoje ao prédio do Capitólio e agências governamentais reabriram as portas pela primeira vez desde os ataques paralelos de terça-feira contra o World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, na capital da nação. Bush, no Salão Oval logo depois do amanhecer, covidou lideranças parlamentares à Casa Branca para uma demonstração de unidade. Seu porta-voz, Ari Fleischer, tentava tranquilizar a população. "Acreditamos que os perpetradores executaram seu plano e desta forma os riscos foram significativamente reduzidos", disse.Cerca de um quilômetro de onde falava, equipes de busca e resgate trabalhavam nos escombros da parte do Pentágono que desabou ontem, atingida por um avião sequestrado. Autoridades disseram que não tinham mais esperanças de encontrar sobreviventes e que o número de mortos pode chegar a centenas.Em Nova York, onde dois aviões sequestrados foram lançados contra as torres gêmeas do World Trade Center, fazendo-as desabar, o número de mortos deve chegar aos milhares. Esta manhã, o prefeito Rudolph Giuliani disse que até agora já haviam sido resgatados mais de 40 corpos e sabia-se de 1.700 feridos. Ele informou que 235 policiais e bombeiros estavam desaparecidos. E a sensação de insegurança persistia hoje.O prédio do Departamento de Agricultura, em Washington, foi evacuado esta manhã, mas os funcionários tiveram permissão de retornar horas depois. Notícias de um avião não identificado no espaço aéreo canadense provocaram a evacuação. Autoridades americanas, que pediram anonimato, disseram que três aviões não identificados sobrevoavam o Canadá e que a Força Aérea canadense os estava perseguindo, mas acrescentaram que os Estados Unidos não estavam muito preocupados com o incidente. O prédio do Pentágono foi evacuado hoje porque havia temores de que o fogo que ainda persiste em alguns pontos do complexo se espalhasse para outras áreas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.