Bush diz que eleição no Zimbábue aparenta ser 'fraude'

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, chamou de fraude as eleições de desempate queserão promovidas no Zimbábue, na sexta-feira, e acusou ogoverno do presidente Robert Mugabe de intimidação. Países vizinhos do Zimbábue fizeram um apelo pelo adiamentodas eleições, dizendo que a reeleição de Mugabe faltaria comlegitimidade no atual clima de violência. Entretanto, a comissão eleitoral do Zimbábue decretou que aretirada do oposicionista Morgan Tsvangirai da eleição não temnenhum valor legal e a votação terá prosseguimento mesmo assim. "As eleições de sexta-feira parecem ser uma fraude", disseBush depois de se encontrar com membros do Conselho deSegurança da Organização das Nações Unidas (ONU) na CasaBranca. "Você não pode ter eleições livres se um candidato não podefazer campanha livremente e se seus partidários não podemparticipar de campanhas sem o medo da intimidação", disse Bush."E além do mais, o governo de Mugabe tem intimidado as pessoasno Zimbábue." Bush elogiou o Conselho de Segurança da ONU por ter emitidoum comunicado na segunda-feira condenando a violência noZimbábue, dizendo que com o cenário, uma eleição justa e livreno país seria impossível. "É um comunicado pela justiça e decência da dignidadehumana", disse. Bush ainda fez um apelo a União das Nações Africanas que sereúne em breve para destacar a "ilegitimidade das eleições". "O povo do Zimbábue merece mais do que está recebendoagora. As pessoas lá querem se expressar nas urnas, mas ogoverno Mugabe não os permite", disse. "Isso não é justo e éerrado." (Por Tabassum Zakaria)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.